Escolhi a Sicília como destino das minhas férias e jurei voltar assim que possível. Nunca me diverti tanto. Comi bem, conheci pessoas incríveis e visitei lugares dos quais os sicilianos se orgulham, e com toda razão.

Peguei um vôo de Roma para Palermo, mas para quem está rodando o sul da Itália de carro, a opção é o ferry boat que sai da Calábria para a Messina. Como fui de avião, aluguei um carro quando cheguei e girei a ilha toda.

Palermo, capital da Sicília

Comecei por Palermo, capital da Sicília, e logo de cara entendi que a cidade é dividida em centro antigo e moderno. No antigo estão os famosos cortiços italianos com casas de pedras, janelas ornamentadas com bandeirinhas, muitas imagens de santas nas fachadas e um show de luz colorida para mostrar que quem mora ali é muito animado e feliz. O astral do centro antigo de Palermo te remete aos antigos filmes italianos e a noite você ouve o som dos talheres e pratos das famílias em torno da mesa. As ruas são estreitas, o calor faz com que todos escancarem as janelas e quem, como eu, caminha pelas ruas se sente praticamente dentro das casas. É incrível, ainda mais se você parar em um boteco e tomar uma dose de Zibibbo, um tipo de vinho doce, para abrir o apetite. Duas doses abrem a mente também!

É nessa parte da cidade, durante o dia, que estão os mercados a céu aberto com uma variedade enorme de produtos e muita gritaria. Fui conferir e me perdi pelo mercado de Vucciria, o mais antigo e tradicional. A dica é ficar atento com a bolsa e a carteira.

Catedral de Palermo, Sicília

Parte moderna de Palermo

A parte moderna de Palermo é bem diferente. Avenidas largas, lojas famosas e prédios comerciais não ficam devendo nada para as famosas metrópoles mundiais.

Depois de queimar a sola, peguei o carro e fiz um passeio pela orla marítima. Ali estão as mansões dos milionários sicilianos e um mar transparente com areia clarinha. Dirija com muita calma, esse é o truque para se locomover em meio ao trânsito de Palermo. As ruas estreitas e muita confusão fazem parte da tradição local.

Minha lista dos principais pontos a serem visitados são: a Catedral, a Capela de Santa Rosalia, Capela do Sacramento, Porta Nuova, Palazzo dei Normanni, Capela Palatina, a Chiesa de San Giovanni dei Eremiti, Palazo Senatorio e a Piazza Pretoria.

Cefalú

Depois de curtir a loucura da capital siciliana, fui para Monreale, que fica bem pertinho, para visitar a famosa Catedral, dedicada a Santa Maria Nuova. É uma obra de arte toda feita em mosaicos de arrepiar. Muito ouro, muita arte e muito
respeito.

De lá passei por Solunto e fui em direção a Cefalú, uma das cidade de praia mais charmosas da Sicília. Se quiser você ainda pode visitar a ilha de Ústica. Os barcos saem dali para um passeio diário, mas eu segui em frente.

Cidade de Cefalu

Etna

Saindo de Cefalú desci em direção ao Etna, que fica no centro da ilha, passando por Bronte, onde se produz o melhor pistache do mundo e Randazzo, uma cidadezinha em estilo medieval com construções feitas de pedras vulcânicas. Ali você pode fazer caminhadas em torno do Etna e conhecer o Parque Fluvial de Alcântara. Para quem curte trakking e aventura é o passeio certo.

Etna é um vulcão ativo situado na parte oriental da Sicília, Taormina

Taormina

Pé na estrada e finalmente cheguei em Taormina, uma das cidades mais famosas da Sicília. A cidade é dividida entre a parte alta e baixa. Na baixa estão os hotéis a beira mar. Na alta a parte histórica com suas famosas ruínas do teatro grego e muita badalação com ótimos bares, restaurantes e as lojinhas mais refinadas da Sicília, com produtos locais como cerâmicas, acessórios e muitos temperos.

Um detalhe importante: os carros não tem acesso a parte alta. Tive que deixá-lo no estacionamento na metade do caminho e subir com o ônibus local.

Taormina, província de Messina

Siracusa

Depois de dois dias em Taormina, porque me apaixonei pela cidade e decidi ficar mais um pouquinho, peguei a estrada em direção a Siracusa, outra cidade de cair o queixo. Não é a toa que ela tem o apelido de Firenze Siciliana.

A arqueologia e as construções medievais e barrocas impressionam pelos vestígios que ainda guardam do passado. O passeio e o almoço pelo centro antigo vão ficar na minha memória para sempre. De lá fui conhecer Marzamemi, um lugar que é puro charme e onde se produz o famoso tomatinho cereja.

Agrigento

Depois de Siracusa meu destino foi Agrigento com seu famoso Vale dos Tempos, Patrimônio da Humanidade da Unesco, e muitas ruinas do período helenístico e púnico- romano. Um sítio arqueológico de 1300 hectares que conta uma história milenar com suas ruínas cercadas de oliveiras milenares. Um calor e um sol de rachar mas o lugar é incrível. Prepare seu chapeu e seu filtro solar.

Agrigento, é uma comunidade italiana da região da Sicília

Região de Trapani

Meu giro pela Sicília terminou na região de Trapani. Visitei a cidade de Sciacca famosa por suas cerâmicas, provei outro vinho licoroso em Marsala, subi a serra, por uma estradinha sinuosa, até a incrível cidade de Érice, mergulhei no mar transparente de San Vito lo Capo e Castellamare del Golfo, e me acabei com uma das melhores cozinhas a base de peixe e frutos do mar do mundo!

Scala dei Turchi

Final de viagem, feliz e triste ao mesmo tempo, entregue meu carro em Palermo e peguei o vôo de volta, mas com a certeza de que conheci uma das ilhas mais incríveis do mundo!